Pouco difundido no país, o nado sincronizado é tratado muitas vezes no Brasil como um “esporte de Olimpíadas”. Essa situação acaba prejudicando a modalidade que fica sem apoio e visibilidade nos anos não olímpicos.

“Por ser um esporte pouco divulgado, as empresas não procuram muito, apesar de muita gente vir falar na Olimpíada, no Pan-Americano, ‘eu só assisto o nado porque é muito bonito’. Mas, as empresas não têm muita vontade de patrocinar porque o esporte não tem muita divulgação nos outros anos”, afirmou Nayara, integrante do principal dueto brasileiro na modalidade.

Parceria de Nayara no dueto, Lara também reclama da falta de parceiros e vê isso como um fator fundamental para o Brasil não conseguir resultados mais expressivos.

“A gente realmente fica muito atrás dessas empresas para patrocinar para a gente ter uma autonomia maior no nosso planejamento”, disse a nadadora, que também reclamou da falta de espaço na mídia.

“Dependemos muito se o evento vai estar com a natação ou se vai ser só nada sincronizado. Se o evento vai ter só o nada sincronizado é bem difícil a gente conseguir mobilizar a mídia para cobrir. É um esporte que a gente treina com seriedade, tem toda uma cobrança de profissionalismo, mas a gente não tem uma estrutura profissional”, falou Lara.

Apesar dessa falta de apoio, Nayara ainda mantém confiança no trabalho que está sendo feito e projeta uma possível medalha no Pan-Americano de Guadalajara que acontece em outubro deste ano.

“No Pan, a gente vai brigar, a gente fala que tudo pode acontecer no Pan, então a gente está brigando pela prata, mas pensando no ouro, chances reais de prata, mas vamos brigar pelo ouro”, afirmou Nayara que avisou que sem patrocinadores, ela e Lara podem ter de parar de competir para trabalhar.

“Mas, a gente precisava de um apoio com certeza para continuar crescendo, treinando até ficar mais velha, ter 28, 30 anos. Para que a gente não tenha de optar em parar e trabalhar, o que a gente gosta de fazer é isso, então se tiver um patrocínio a gente vai continuar”, completou.

Sem mais artigos