Rafael Nadal mostrou confiança em voltar a jogar seu melhor tênis, em entrevista publicada nesta quinta-feira, um dia depois da sua vitória sobre o argentino Federico Delbonis, pela segunda rodada do ATP 250 de Viña del Mar, no Chile, a primeira partida do número 5 do mundo desde junho.

“Quero voltar a ser o jogador de antes e, sinceramente, acho que é possível”, disse Nadal ao jornal francês L’Équipe. O tenista espanhol estava afastado do esporte desde o meio do ano passado devido a uma lesão no joelho.

“Se meu joelho está bem, que razão há para que não consiga? Durante oito anos estive entre o primeiro e segundo do mundo. Me atrevo a pensar que em sete meses não me esqueci de jogar tênis”, explicou.

Nadal admitiu que ainda sente certa dor no joelho, apesar de também sentir que elas vêm diminuindo a cada dia. Segundo o espanhol, seu objetivo é estar 100% no início da temporada de saibro, na Europa. “É certo que não serei favorito em Paris (no torneio de Roland Garros), mas não preciso ser, para vencer”.

O número 5 da atualidade revelou acreditar que os próximos anos no tênis serão monopolizados por Novak Djokovic e Andy Murray. “Só tenho um ano a mais que eles, não quero me subestimar, até porque há oito meses estava em boa situação para ser o número 1 do mundo. Agora, vou tentar brigar na era Djokovic-Murray”, afirmou.

O espanhol ainda revelou que o pior momento de sua lesão foi ter que desistir dos Jogos Olímpicos de Londres, no ano que considerou estar em seu melhor momento, embora entre 2008 e 2010 tenha sido seu período com maior número de títulos.

Classificado para as quartas de final em Viña del Mar, Nadal espera agora o vencedor do duelo entre os compatriotas Albert Montanes e Daniel Gimeno-Traver, para conhecer seu próximo rival.

Sem mais artigos