Com o clube afundado em uma crise econômica e na segunda divisão do Campeonato Espanhol, os jogadores do Racing Santander expressaram na última quarta-feira (08) o mal estar com o atraso nos salários e se mantiveram parados, sem disputar a bola, no começo da partida contra o Almería – que terminou empatada em 1 a 1 -, pelas oitavas de final da Copa do Rei.

A medida, semelhante à adotada pelos atletas que compõem o Bom Senso FC no Brasil no fim do ano passado, já era esperada. O elenco não recebe há três meses.

A expectativa por um protesto foi desfeito logo no começo da partida. Os jogadores do Racing cederam a saída ao Almería, que mandou a bola para fora, sem que nenhum adversário deixasse sua posição inicial e se movimentasse para repô-la.

Os poucos torcedores que compareceram ao estádio em Santander  aplaudiram a ação dos atletas e se voltaram para o camarote para pedir a saída do presidente do clube mandante, Ángel Lavín. Alguns, mais exaltados, invadiram o local para cobrar melhorias ao dirigente.

Sem mais artigos