O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) pediu hoje à empresa Protektorvest, que vende coletes à prova de facadas a torcedores que viajarão à África do Sul para assistir à Copa do Mundo, para que retire de seu site qualquer propaganda ou menção à entidade.

Segundo a agência sul-africana de notícias “Sapa”, a porta-voz do Unicef Gina Dafalia disse que a organização ficou “escandalizada” ao conferir que um anúncio na página da empresa pedia doações ao Fundo.

“Temos instruções claras de não nos associarmos ou fazermos anúncios em nenhum portal relacionado com a violência”, disse Dafalia.

A companhia inglesa esteve no centro de uma grande polêmica em meados de janeiro, quando começou a vender coletes à prova de ataques com navalhas, facas ou outros tipos de arma branca aos torcedores que se preocupavam com sua integridade física na África do Sul durante a Copa.

Sem mais artigos