A Espanha conquistou sua terceira Eurocopa no domingo (01), no Estádio Olímpico de Kiev, ao vencer a Itália pelo placar de 4 a 0 com gols de Jordi Alba, David Silva, Fernando Torres e Juan Mata. Com este título, a Fúria alcança a tríplice coroa inédita: venceu duas Eurocopas (2008 e 2012) e uma Copa do Mundo (2010).

A Espanha começou melhor na partida. Tocando bola até a área da Itália, a Fúria teve uma boa chance aos nove minutos. Xavi tabelou com Iniesta e chutou no gol de Buffon. O chute foi forte e a bola foi por cima do gol, mas assustou o goleiro italiano.

O bom início de partida da Espanha se concretizou com o primeiro gol aos 13 minutos. Após pressionar, numa bela troca de passes, Iniesta encontrou Fábregas dentro da área, que cruzou para David Silva marcar de cabeça.

A Itália tentou se recuperar no jogo e a defesa da Espanha segurou as investidas. Aos 24, após cruzamento, Casillas saiu do gol e praticamente tirou a bola da cabeça de Balotelli.

Em desvantagem no placar, a Azzurra buscava equilibrar a partida e se arriscar mais. Aos 28, Cassano invadiu a área e chutou rasteiro para defesa de Casillas. Três minutos depois, o goleiro da Espanha teve de trabalhar novamente e defender um chute de Cassano. Na busca pelo gol de empate, a Itália mantinha 53% de posse de bola no final da primeira etapa.

Aos 37, Balotelli arriscou seu primeiro chute de fora da área que passou longe da meta de Casillas. E a Espanha acabou com a esperança de empate dos italianos. Aos 40, Casillas deu um chutão na bola, que parou nos pés de Xavi. Ele tocou para Jordi Alba que, em posição legal, bateu no canto direito de Buffon e ampliou o placar para a Espanha. Nos últimos minutos, a Itália ainda teve outra chance. Montolivo arriscou de fora da área e Casillas fez grande defesa.

No intervalo, Cassano saiu para a entrada de Di Natale que, logo nos primeiros segundos da etapa final, recebeu cruzamento de Abate e cabeceou com muito perigo na meta de Casillas.

Em uma disputa de bola dentro da área da Itália, Sergio Ramos cabeceou e a bola bateu na mão de Bonucci. Os espanhóis reclamaram muito o pênalti não marcado. Aos seis minutos, a Azzurra perdeu a oportunidade mais clara de gol em toda a partida. Di Natale recebeu completamente livre na área e chutou em cima de Casillas.

Com a entrada de Thiago Motta, a Itália continuou sua pressão para marcar o primeiro gol. Em cobrança de falta, Pirlo cruzou na área e Casillas tirou o perigo dali. No rebote, Balotelli chutou longe da meta espanhola.

Além da necessidade de marcar um gol, a Itália teve de lidar com outro problema. Aos 16, Thiago Motta, que tinha entrado há pouco na partida, deixou o campo de maca e, como os italianos já haviam feito as três substituições, tiveram de ficar com um jogador a menos em campo.

A Espanha tocava a bola na frente e apenas Di Natale estava no campo de ataque italiano. A torcida gritava o nome de Iniesta e, com um jogador a mais, a Fúria tinha liberdade para trabalhar as jogadas. A Itália demonstrava cansaço já aos 34.

Para confirmar a conquista do título e a situação de entrega da Azzurra, aos 38, Fernando Torres recebeu passe de Xavi e tocou fácil na saída de Buffon para marcar o terceiro da Espanha. A Itália ficou totalmente perdida. Aos 42, Torres foi lançado na área e entregou grande presente para o companheiro Mata que fechou a vitória e o placar do jogo com uma goleada de 4 a 0 a favor da Espanha.

A Fúria faz história no futebol mundial. Além de alcançar a tríplice coroa, venceu uma seleção italiana na final com uma goleada.

Sem mais artigos