Pelo menos 21 ex-jogadores da Liga Nacional de Futebol Americano (NFL) processaram a organização que rege o esporte devido aos efeitos das concussões cerebrais que dizem ter sofrido enquanto estavam em atividade por alguma equipe profissional.

O processo é semelhante a outro interposto esta semana em Atlanta, e é o mais recente de vários realizados por ex-atletas contra a liga nos últimos meses.

A queixa foi apresentada em Miami em nome dos ex-jogadores do Miami Dolphins Patrick Surtain, Oronde Gadsen e outros 19 ex-profissionais da NFL.

No processo, os ex-jogadores acusam a liga de omitir ou ocultar propositalmente a evidência que vincula as concussões cerebrais com problemas neurológicos a longo prazo.

A NFL, por sua vez, nega que as acusações sejam corretas, e garante que a saúde dos jogadores de suas equipes é uma de suas prioridades.

Sem mais artigos