O suíço Roger Federer, que acabará o ano como número três do tênis mundial, conquistou neste domingo em Londres seu sexto título nas Finais de ATP, ao vencer o francês Jo-Wilfried Tsonga por 6-3, 6-7 (6) e 6-3 em duas horas e 18 minutos.

O suíço chegou ao seu título de número 70 em 100 finais disputadas na carreira, além de se transformar no tenista que mais vezes ganhou as Finais da ATP, que no fim da temporada reúne os oito melhores tenistas do mundo. O tcheco Ivan Lenld e o americano Pete Sampras foram cinco vezes campeões do torneio, casa um.

Federer desperdiçou algumas chances no segundo set e voltou a sofrer no terceiro diante do número um da França, como já tinha acontecido no duelo entre os dois tenistas no primeiro jogo do torneio.

Apesar das dificuldades, o suíço mostrou em alguns lances a qualidade que o consagrou como um dos grandes da história do tênis, e foi aplaudido de pé pelas quase 20 mil pessoas que lotaram as arquibancadas da O2 Arena, ao devolver algumas bolas que pareciam inalcançáveis.

Ao contrário de tenistas como o número um do mundo, o sérvio Novak Djokovic, ou o número dois, o espanhol Rafael Nadal, que acusaram em Londres o cansaço acumulado durante o ano, Federer afrontou o duelo final da temporada em um estado físico notável.

Com a final desta tarde, Federer, de 30 anos, chegou a uma sequência de 17 vitórias consecutivas, uma marca que não alcançava desde 2009, e fechou de maneira positiva a primeira temporada em oito anos na qual não conquista um dos quatro torneios de Grand Slam do circuito.

A arrancada no fim da temporada também serviu para Federer alcançar a terceira posição no ranking da ATP. Para ficar com o título das Finais, o suíço teve de vencer Rafael Nadal, número dois, o americano Mardy Fish, oitavo do mundo, o espanhol David Ferrer, e Tsonga na grande final.

Sem mais artigos