Com uma exibição digna dos tempos em que reinava soberano no tênis mundial, o suíço Roger Federer venceu o sérvio Novak Djokovic nesta sexta-feira (28) por 2 sets a 1 de virada, com parciais de 3-6, 6-3 e 6-2, e se classificou para a final do ATP 500 de Dubai, em que enfrentará o tcheco Tomas Berdych.

Federer havia vencido Djoko pela última vez na final do Masters 1000 de Cincinnati e vinha de três derrotas seguidas para o sérvio. E o começo de jogo hoje deu a entender que aconteceria a quarta rodada, mas o suíço reagiu e fechou a partida em 1h46min.

As duas primeiras parciais foram bastante equilibradas. Na primeira, Djokovic aproveitou o único break point que teve e venceu por 6-3; na segunda, o atual número 8 do mundo reagiu e deixou tudo igual.

No terceiro set, porém, o que se viu foi um atropelamento do suíço. O suíço obteve uma quebra logo no primeiro game, abriu 5-1 e apenas teve que administrar a vantagem até fazer 6-2 e se classificar para a final em Dubai pela oitava vez. Ele foi campeão em 2003, 2004, 2005, 2007 e 2012 e vice em 2006 e 2011.

O outro finalista é Berdych, que no primeiro jogo do dia bateu o alemão Philipp Kohlschreiber por 2 a 0, com um duplo 7-5, em 1h28min. Assim, o tcheco se colocou na decisão no Catar pela segunda vez consecutiva, depois de ter sido vice para Djokovic em 2013.

Sem mais artigos