Após um período de incertezas e indefinições, o cenário da Copa do Mundo em São Paulo passou a ser mais favorável. Para isso, o bom andamento das obras no estádio do Corinthians, em Itaquera, foi fundamental.

Com a obra avançada e longe de problemas que tem acontecido em outras praças, como greves de operários, nos casos do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, ou ainda do atraso na regularização dos financiamentos, casos de Natal e Rio Grande do Sul, a FIFA, segundo os jornais “Estado de S. Paulo”, “Folha de S. Paulo” e “Jornal da Tarde”, já decidiu que o estádio será a abertura da Copa do Mundo e a cidade uma das “protagonistas”.

A definição foi realizada à portas fechadas, em uma reunião realizada em Zurique, entre a entidade máxima do futebol e o Comitê Organizador Local. Além da abertura, São Paulo terá ao menos outros cinco jogos, além do Congresso da Fifa, sorteios e o centro de treinamento dos árbitros. Antes disso, ainda há chandes de o sorteio da Copa das Confederações ser realizado na capital paulista, mesmo sem ser sede dos jogos. O anúncio será feito no início da tarde de quinta-feira, em evento que será transmitido ao vivo, inclusive pelo site oficial da entidade. Até lá, mais encontros serão realizados para definir detalhes finais.

Rio de Janeiro

Na mesma proporção em que a moral de São Paulo sobre, o mesmo não se aplica à capital fluminense. As greves e os atrasos das obras fizeram com que a preocupação a respeito do estádio mais tradicional do Brasil crescesse.

Fato é que, segundo o Jornal da Tarde, a mística em torno da arena faz com que a paciência em relação a suas obras seja maior. O problema é que o prazo para a entrega, em março de 2013, a tempo de ser usado na Copa das Confederações, é visto como impraticável na análise de técnicos da FIFA.

A chance do “Maraca” ficar fora da Copa do Mundo é próxima de zero, mas o mesmo não se aplica a outras arenas com problemas.

Sem mais artigos