O caso de racismo envolvendo o goleiro Aranha, do Santos, que foi insultado por torcedores do Grêmio na noite da última quarta-feira (28), na Arena, em Porto Alegre, não revoltou apenas jogadores, dirigentes, treinadores e torcedores. O jovem Bernardo, enteado do camisa um, que considera o garoto como seu filho, publicou um desabafo em seu perfil no Instagram, com uma foto ao lado do pai, criticando o preconceito visto no estádio gaúcho durante a partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

“Já cansei disso, que palhaçada! Até quando? Isso vai acabar? Eu tenho orgulho de ter um pai negro”, escreveu o pequeno Bernardo, que usa o codinome Aranha Jr nas redes sociais e é famoso no Santos por frequentar o clube e ser amigo de jogadores e funcionários..

Entenda o caso

O goleiro Aranha tentou chamar a atenção da imprensa e do árbitro Wilton Pereira Sampaio para os gritos e gestos racistas entoados por um grupo de torcedores do Grêmio atrás de um dos gols da Arena. Transtornado com a situação, o jogador do Santos deixou o gramado emocionado e muito triste com a situação.

“Fiquei bem nervoso. Com o perdão da palavra, fiquei p…Isso dói. Não é possível. Me chamaram de preto, de macaco. Bati no braço e disse que sou preto mesmo, se eles consideram isso como ofensa”, afirmou.

Aranha decidiu não prestar queixa em Porto Alegre, mas ganhou apoio da diretoria do Santos. Assim como seu filho, o goleiro desabafou também nas redes sociais. “O racismo é inadmissível. Mas se ainda existe, vamos combater! Obrigado pelo apoio; esporte também é cumplicidade!”.

Sem mais artigos