O Flamengo não vai encerrar o assunto Ronaldinho Gaúcho tão cedo. Após ser informada sobre a ação judicial movida pelo jogador contra o clube, a diretoria se manifestou e pretende responder também na Justiça.
E sobrou até para o Palmeiras. Na primeira oportunidade de se defender da liminar que desvincula Ronaldinho do Flamengo, a presidente Patrícia Amorim assinou um documento extraoficial e enviou, na noite de sexta-feira (01), ao presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, com reproduções para a CBF e a Federação Paulista.
A notificação diz que o Flamengo “tem evidências de que a Sociedade Esportiva Palmeiras iniciou tratativas para contratação do atleta Ronaldo de Assis Moreira em data anterior à concessão de antecipação de tutela proferida pela 9ª Vara do Trabalho da Comarca do Rio de Janeiro”.
Caso esta negociação seja concretizada, o rubro-negro afirma que irá à Justiça cobrar uma indenização de 325 milhões. Para chegar a este valor, o clube carioca cita “o inciso 1º do caput do art. 28 da Lei 9615/98, no valor de R$ 325.000.000,00 conforme previsto no parágrafo segundo do art.28 da citada Lei”. O Palmeiras nega a acusação.
Ronaldinho Gaúcho obteve na Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro uma liminar para se desvincular do Flamengo e cobra R$ 40,1 milhões do clube. Este valor foi calculado em cima de 12 meses de previdência, fundo de garantia e cinco meses de direitos de imagem.

Sem mais artigos