Pela segunda vez na atual edição da Taça Libertadores, o Fluminense não conseguiu vencer dentro do Engenhão, desta vez, ao empatar com o Huachipato, do Chile, na abertura da quarta rodada do grupo 8, do qual é líder.

Fred, quebrando jejum de três jogos sem marcar, abriu o placar para o time brasileiro. Nuñez, na segunda etapa igualou o marcador para a modesta equipe chilena, que conquista assim seu quarto ponto em seis disputados no território brasileiro na competição.

Na segunda rodada, o Fluminense foi derrotado, também no Engenhão, pelo Grêmio, por 3 a 0. Já o Huachipato, na sua primeira visita ao Brasil na competição, vencera o time gaúcho por 2 a 1, na rodada inicial.

Com o resultado, o Tricolor chegou aos sete pontos, um a mais que o Grêmio, que, no entanto, tem um jogo a menos. O Huachipato ocupa a terceira colocação, com quatro pontos, enquanto o Caracas, também com apenas três jogos disputados, aparece na lanterna, com três pontos.

Para a partida de hoje, o time carioca veio apenas com um desfalque, o zagueiro Leandro Euzébio, contundido, que deu lugar a Digão. A formação, aliás, foi a mesma da partida do último sábado, quando o Fluminense foi eliminado nas semifinais da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, ao perder para o Vasco por 3 a 2.

No Huachipato, o técnico Jorge Pellicer apresentou três mudanças com a relação a equipe derrotada na semana passada para o próprio Tricolor, por 2 a 1. As principais novidades foram no setor de meio-campo, no qual Yedro e Rodríguez ganharam as vagas de Sandoval e Arrué.

Tendo como o único objetivo a vitória, o Fluminense partiu par acima desde o pontapé inicial. Logo aos 5, Thiago Neves recebeu na área e finalizou com força, em bola que desviou na defesa, obrigando Veloso a fazer grande defesa. No minuto seguinte, Carlinhos ainda teve boa oportunidade, mas acabou concluindo mal.

Aos 12, nova chance tricolor, quando Wellington Nem cruzou da direta, encontrando Jean, que mesmo com o gol praticamente vazio, bateu para fora. Cinco minutos depois, a finalização do camisa 7, também não fez a bola encontrar as redes do time chileno.

Ainda no primeiro tempo, aos 22, o técnico Jorge Pellicer foi obrigado a fazer sua primeira mexida, com Arrué substituindo o contundido Rodríguez. Independente da alteração, o time brasileiro seguiu dominando.

Thiago Neves esteve perto de marcar, aos 26, mas parou na defesa do goleiro Veloso. No minuto seguinte, o Flu até fez, com Gum, mas o gol não valeu, porque o zagueiro estava impedido.

Destaque do Huachipato até então, o goleiro Veloso fez uma grande lambança, aos 29 minutos e jogo, ao conseguir, no mesmo lance, dar uma furada, um chapéu em Deco e um ‘bico’ que encontrou um zagueiro do seu time. Com isso, o camisa 20 recuperou a bola e foi derrubado por Núñez. Pênalti que acabou convertido por Fred.

O gol fez o atacante tricolor quebrar jejum de três partidas sem marcar. A última vez que o jogador 9 da seleção brasileira havia balançado as redes, foi no duelo contra o Caracas, pela primeira rodada da Libertadores, no dia 13 de fevereiro.

Depois de abrir o placar, o time carioca desacelerou o ritmo da partida, mostrando que não se desesperaria na busca pelo segundo gol, o que foi a tônica do duelo até o apito final da primeira etapa.

Para o segundo tempo, o Huachipato voltou com mais uma novidade no equipe, com a troca do zagueiro Lanbrín, pelo lateral Contreras, e a mudança para o esquema 4-4-2, no lugar do 3-5-2 inicial.

Em menos de 10 minutos cada uma das equipes criou uma boa chance. Primeiro o Flu, aos 8, com Wellington Nem, que finalizou para fora, passe recebido de Jean. Logo em seguida, foi a vez do Huachipato responder com Nuñez, que ficou cara a cara com Diego Cavalieri, mas bateu para fora.

O time da casa voltou a assustar aos 15, justamente com seu artilheiro. Após cruzamento da esquerda, Fred cabeceou bem, obrigando Veloso a fazer bela defesa. A arbitragem, no entanto, já havia marcado impedimento do camisa 9.

A última mexida do técnico do time chileno foi no ataque, com Llanos entrando na vaga de Falcone. No Fluminense, o apagado Deco deu lugar a Wagner, autor do gol da vitória na semana passada, depois de sair do banco de reservas.

Aos 25, um minuto depois da alteração de Abel Braga, em jogada de insistência do Huachipato, a partir de cobrança de falta da intermediária, Arrué fez um carnaval na defesa tricolor e cruzou para Nuñez que bateu forte para o fundo das redes.

Sempre com Fred, por muito pouco o Fluminense não desempata, aos 29, quando o centroavante recebeu de Thiago Neves, fuzilou no canto direito de Veloso, que fez bela defesa.

Sem outra opção, Abel Braga optou por Rhayner no ataque, substituindo o lateral direito Bruno, fazendo que Jean passasse a ocupar o lado direito do campo. Logo no primeiro lance após a mudança, Carlinhos quase marcou, em chute da entrada da área, que acabou indo para fora.

E se o time brasileiro se lançava desesperado ao ataque, quase permitiu o gol no contra-ataque adversário. Aos 42, Rodríguez foi lançado, disparou sem qualquer tipo de marcação, e bateu cruzando, obrigando Diego Cavalieri a fazer grande defesa. O susto tirou o ímpeto do Flu, que apesar de uma oportunidade desperdiçada por Fred, não conseguiu encurralar o rival.

Sem mais artigos