Um dos destaques do Atlético-MG na conquista da Libertadores deste ano, o atacante Diego Tardelli, que há alguns dias chegou a dizer que não entendi a sua não convocação para defender a Seleção Brasileira, foi abordado novamente sobre a possibilidade de ser chamado por Felipão. Questionado sobre as fracas atuações de Pato e Lucas no amistoso contra a Zâmbia, o que daria a ele um espaço no time, o atacante não mostrou muito otimismo na resposta.

“Não acompanhei o jogo, continuo com a intenção de chegar à Seleção. Se eu continuar dessa forma, do jeito que estou jogando, vai chegar ao Felipão. Depende de mim manter os pés no chão, uma hora a chance vem, já manifestei minha vontade de voltar. Estou fazendo minha parte, mas agora não depende mais de mim”, disse.

Convocado por Dunga para alguns amistosos em 2009, Tardelli teve que mudar recentemente sua forma de jogar por conta da lesão de Ronaldinho Gaúcho. Mais recuado, o atacante passou a exercer o papel de armador do Galo. E ele está motivado com o desempenho na função.

 “Estou satisfeito com minhas atuações na ausência do Ronaldo, porque não é fácil substituí-lo, por tudo que ele fez dentro do Atlético. Mas o bom é que estou me saindo muito bem”, disse. “Estou bem fisica e taticamente. Cumprindo a função que o Cuca vem pendindo. Eu disse que, estando bem fisicamente, dá para exercer essa função normalmente. É legal recebe elogios da imprensa, de quem está fora de campo. Isso me motiva cada dia mais a entrar e dar o meu melhor em campo”, completou.

Tardelli poderá ter a primeira chance na seleção de Felipão nos dois últimos compromissos do Brasil em 2013. No dia 16 de novembro, em Miami, a Seleção Brasileira enfrentará Honduras, que já se classificou pra Copa do Mundo. Já no dia 19, o adversário deverá ser a Rússia, que também carimbou seu passaporte para 2014.

Sem mais artigos