A festa do fim do Campeonato Brasileiro não foi como os organizadores esperavam. O evento, realizado no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, foi marcada por diversas gafes.

Em uma delas, o apresentado Tiago Leifert, da Globo, ficou perdido chamando o zagueiro Dedé para receber o prêmio de “Craque da Galera”. No entanto, o vascaíno estava dando entrevista para Galvão Bueno no programa “Bem Amigos”.

Companheiro de Dedé na seleção do campeonato, Réver também foi alvo de piadas. Os apresentadores brincaram com o atleta dizendo que a goleada por 6 a 1 ante o Cruzeiro não contava para o prêmio.

Quem também cometeu gafes foi Luciano Huck. Em um instante, o apresentador disse para Ricardo Teixeira que o mandatário da CBF “como apresentador é um grande dirigente”. Logo, o contestado dirigente ficou com a cara fechada.

O governador Geraldo Alckmin foi chamado para entregar o prêmio de melhor meia pela direita. No entanto, a organização do evento esqueceu de dar o envelope com o nome do vencedor para o político.

Marco Maia, presidente da Câmara dos Deputados, também deu seu “showzinho”. Responsável por entregar o prêmio de melhor árbitro, o político “cornetou” o escolhido.

“Dar o prêmio para o Leandro Vuaden depois do pênalti que ele deu, ontem (domingo), no Gre-Nal, vou te contar”, disse.

Sem mais artigos