A coletiva desta terça, no Santos, foi “explosiva”, assim por dizer. O meia Paulo Henrique Ganso falou à imprensa sobre sua longa recuperação mas o principal ficou para depois.

Questionado sobre o “Projeto de Carreira” que lhe seria oferecido pelo clube a exemplo do que foi feito com Neymar, ele mostrou estar chateado com a diretoria, que adiou o tal projeto por conta de sua contusão. “A conversa estava marcada para uma quinta, e minha contusão foi em uma quarta (…) desde que aconteceu, houve três conversas e nada foi resolvido”, afirmou, antes de completar: “ficar quatro, cinco meses e saber que você não foi valorizado pelo clube é complicado. Podemos ter mais conversas, mas o tom será outro”, afirmou o jogador.

Com isso, ele deixa no ar a possibilidade de sair do Santos. A Internazionale de Milão estaria interessado em seu futebol: “eu machucado, e um time grande da Europa, o último campeão mundial, está muito interessado em meu futebol e o Santos praticamente não me valorizou. É até engraçado falar isso”.

Ganso tem contrato até fevereiro de 2015, mas recebe pouco, no seu entendimento e deseja receber mais do que os cerca de R$ 130 mil mensais atuais. Ao contrário de rumores recentes, ele afirmou que não deseja que sua multa rescisória seja diminuída, já que hoje gira em torno de R$ 109 milhões, mas confirmou que deseja “fazer o Santos crescer cada vez mais com sua imagem”, ou seja, manter seu vínculo com o clube, mas que deseja um aumento: “Quero crescer e espero que o Santos possa me ajudar. Estou satisfeito por jogar num clube grande, mas quero uma valorização maior”.

Sem mais artigos