Apesar de estar faturando muito com as estrelas Neymar e Ganso, de ter se desfeito de alguns jogadores, e de ter recusado uma oferta de 45 milhões de euros pela Jóia da Vila, o Santos não está com a situação financeira confortável.

Prova disso é que o presidente Luís Álvaro Ribeiro, solicitou ao Conselho Fiscal do clube (e teve aprovada) uma autorização para antecipar receitas referentes de 2012. Segundo o Estado de S. Paulo, o clube teria intenção de receber até R$ 30 milhões, entre promissórias a vencer em favor do clube advindas de jogadores já negociados e quotas de TV do Paulistão.

Questionado, o presidente confirmou que, de fato, fez solicitação, mas que o valor supracitado “é uma mentira grosseira”, já que este montante equivaleria a “100 anos de receitas”, ironizou, antes de classificar a informação como “coisa plantada da oposição” (sic).

A justificativa da operação é que o clube terá que pagar pelo sucesso do primeiro semestre. Os títulos do Paulista e da Libertadores exigiram um esforço de caixa maior, já que exigiram gastos extras com viagens e prêmios aos jogadores, isso sem contar os aumentos salariais a jogadores valorizados que o clube segurou no elenco.

Sem mais artigos