Durante uma entrevista coletiva realizada nesta terça-feira no CT do Caju, em Curitiba, local onde a Seleção Brasileira está concentrada, Gilberto mostrou personalidade ao colocar um ponto final sobre as especulações de que poderia atuar como meia durante a Copa do Mundo de 2010. Segundo o jogador, que evitou comparações com Roberto Carlos, a sua posição é a lateral-esquerda.
 
“Fui convocado como lateral. A minha posição dentro da seleção é de lateral, junto com o Michel Bastos. Vamos disputar posição, sim. O Michel quer jogar, eu quero jogar”, disse.

Para o meia do Cruzeiro, a briga pela camisa 6 está em aberto e que o fator experiência não o coloca a frente de Michel Bastos, outro lateral convocado para Mundial da África do Sul.

“O que vai prevalecer dentro da seleção para a escolha do titular será o tempo aqui que estamos concentrados. O fato de um jogador ser mais velho, ter feito mais jogos, não vai servir para diferenciar um jogador do outro. Futebol é assim, ninguém joga com nome, com o passado. Vai ser esse período que estamos tendo aqui que o Dunga vai escolher os 11 titulares para o Mundial”.

Quando o assunto é o lateral-esquerdo Roberto Carlos, atualmente no Corinthians, Gilberto esquivou-se de qualquer comparação com o titular do Brasil nas três últimas Copas.

“Eu acho que o Roberto Carlos é um grande jogador. Não estou aqui para me comparar ao Roberto. Não sou muito fã de comparação. Não sou igual a ninguém. Comparação fica com vocês. Eu, o que tenho na cabeça, por ter sido convocado, é fazer o melhor, independentemente de o Roberto ter tido muitos títulos. Não tenho pretensão de ser o Roberto Carlos. Esse tipo de comparação deixo para jornalista. Não me espelhei em ninguém. Sempre tento fazer o melhor. Tem 300 pessoas que não gostam, mas ao mesmo tempo tem 300 pessoas que gostam”.

Sem mais artigos