Desde Daiane dos Santos nossa ginástica artística não é a mesma. Ela inovou totalmente ao efetuar suas piruetas que encantaram o Brasil inteiro ao som de Brasileirinho. Até então, o samba era um ritmo “desconhecido” da modalidade, que sempre priorizou a música clássica.

Daiane se aposentou, porém seu legado parece ter deixado marcas profundas na nossa ginástica. Natália Gaudio, 22 anos, é a prova viva disso. Atleta da seleção brasileira de ginástica rítmica e provável representante do nosso país nas Olimpíadas do Rio, ela aproveitou o carnaval para aprender novos passos de samba que serão usadas em sua coreografia olímpica. Para não fazer feio no tablado, ela teve assistência de ninguém menos que Luisa Fidelis, passista da Mangueira.

“A ideia foi da minha técnica, porque agora é obrigatório a ginasta dançar passos de acordo com a música escolhida. Já tinha noção, sabia alguma coisa. Mas precisava aprender passos elaborados para não ficar repetitivo”, contou a atleta ao jornal Extra. E a professora da ginasta só tem elogios para sua aprendiz: “Natália pegou muito rápido. Ela entendeu a contagem do passos e conseguiu organizar os movimentos com o acessório da coreografia, que é a fita, de forma quase perfeita”.

A ginasta não revelou qual vai ser a música escolhida por ela, mas já dá pra saber que o mais brasileiro dos ritmos vai estar presente novamente na nossa ginástica.

Sem mais artigos