Os quatro grandes clubes do Rio de Janeiro e a dupla formada por Corinthians e Coritiba souberam nesta sexta-feira que serão os únicos “gigantes” do Brasil até o momento a ter o direito de negociar seus direitos de transmissão diretamente com a Rede Globo para o triênio do Brasileirão que se estende de 2012 a 2014. 

A empresa de TV confirmou em comunicado oficial que pretende conversar diretamente com as equipes, ao passo que não fará parte da licitação que será aberta pelo Clube dos 13. “Assim é, em respeito ao interesse do público, que a Rede Globo se sente impedida de participar desta licitação e pretende manter diálogo com cada um dos clubes para chegarmos a um formato para a disputa pelos direitos de transmissão que privilegie a parte mais importante desse evento: o torcedor”, apontou a emissora.

As propostas de todas as TVs pelos direitos de transmissão do torneio serão conhecidas no próximo dia 11 pelo próprio Clube dos 13. O lance mínimo é de R$ 500 milhões. O único clube que pediu desfiliação da entidade até agora foi o Corinthians. Os outro cinco envolvidos apenas manifestaram a preferência por negociarem separadamente.

Leia na íntegra o comunicado enviado pela TV Globo:

Os dirigentes efetivamente preocupados com os legítimos interesses dos seus clubes e, acima de tudo, os torcedores são testemunhas dos volumosos investimentos que a Rede Globo tem feito ao longo desses anos, numa parceria pelo aprimoramento do nosso futebol, na busca de um espetáculo emocionante, com profissionalismo e qualidade.

Essa contribuição tem se traduzido no crescimento das receitas dos clubes, não só através das receitas obtidas com a venda dos direitos de transmissão, bem como com a comercialização de outros direitos, incluindo propaganda nos uniformes e publicidade nos estádios.

As exigências e modificações nos conteúdos das plataformas implicam na desestruturação de um produto complexo, que foi construído ao longo dos últimos 13 anos, inviabilizando assim qualquer perspectiva de um retorno compatível com os investimentos na compra dos direitos.

As condições impostas na carta-convite não se coadunam com nossos formatos de conteúdo e de comercialização, que se baseiam exclusivamente em audiência e na receita publicitária, sendo incompatíveis com a vocação da televisão aberta que, por ser abrangente e gratuita, é a principal fonte de informação e entretenimento para a maioria dos brasileiros.

Assim é, em respeito ao interesse do público, que a Rede Globo se sente impedida de participar desta licitação e pretende manter diálogo com cada um dos clubes para chegarmos a um formato para a disputa pelos direitos de transmissão que privilegie a parte mais importante desse evento: o torcedor.

Central Globo de Comunicação

Sem mais artigos