Grande carrasco do time do Benfica nos tempos de Porto, o atacante Hulk a marcar no Estádio da Luz na última quarta-feira (16), desta vez pelo Zenit, da Rússia, na abertura da fase de grupos da Liga dos Campeões. Autor de um dos dois gols da vitória dos russos diante dos portugueses, o brasileiro foi bastante xingado pelos torcedores benfiquistas durante os 85 minutos que esteve em campo e respondeu as provocações fazendo o número 2 com os dedos ao ser substituido por Andrey Arshavin.

Após o gesto, e toda repercussão que ele teve em Portugal, Hulk tratou de evitar qualquer polêmica com um de seus antigos rivais. “Joguei no maior rival do Benfica. Sou portista, como todo mundo sabe, mas isso não quer dizer que odeie o Benfica. Tenho respeito, mas fico feliz quando faço gols”, disse o brasileiro, em entrevista ao jornal A Bola (assista o gol de Hulk abaixo). 

“Também já marquei contra o Porto e não comemorei por respeito. Contra o Benfica, comemoro porque é o maior rival do Porto, mas não é por ser apenas o Benfica, tento marcar a todas as equipes”, completou o atacante.

Briga antiga

A rixa dos torces do Benfica com o atacante Hulk não é algo novo. Quando atuava no Porto, o atacante brasileiro era constantemente provocado pelos Encarnados, inclusive com cânticos racistas. Em um clássico entre as principais equipes de Portugal, Hulk ouvia sons de macaco toda vez que tocava na bola. Como resposta, o atacante acabou marcando um golaço no Estádio da Luz e os rivais ficaram em silêncio (veja abaixo).

 

Autor de seis gols contra o Benfica em toda sua carreira, sendo quatro pelo Porto, Hulk virou capa do A Bola e o título da matéria sobre o jogo refletia a rivalidade entre o jogador e a equipe português (veja na imagem abaixo).

 

 

 

Sem mais artigos