Zlatan Ibrahimovic já falou que “uma Copa do Mundo sem ele não teria graça” (relembre aqui). Mas isso foi no calor do momento, dias depois da eliminação de sua Suécia por Portugal pela Repescagem Europeia, em novembro. Em entrevista a jornalistas brasileiros na capital francesa, o atacante do Paris Saint-Germain mostrou um lado menos agressivo e disse ainda sentir decepção por não poder ir à próxima Copa do Mundo, ainda mais por esta ser no Brasil, um país que ele admira por sua história futebolística.

“Eu ainda estou desapontado por não jogar a Copa do Mundo. Todos querem jogar uma Copa do Mundo, é claro. Eu lembro que joguei as Copas do Mundo no Japão e na Alemanha. Só o fato de estar lá, a sensação é incrível. Ainda mais agora que a Copa é no Brasil, de onde vem o melhor futebol. Não estou falando porque você é um jornalista brasileiro. Mas pra mim o futebol no Brasil com esse samba, os jogadores que vocês tiveram. O meu favorito é o Ronaldo”, respondeu Ibra.

Apesar de gostar muito do Fenômeno (como podemos ver no vídeo abaixo, até e forma exagerada), que se consagrou com a camisa 9, o gigante sueco prefere envergar a 10, imortalizada por Pelé.

Sempre sonhei em ter o número 10. Toda vez que eu ia pegar a 10, mudava de clube. Essa é a primeira vez que estou usando o número 10, estou muito feliz. Não importa como é o seu futebol, se você usa o número 10 ou o número 9, número 7, número 11. Eu vejo os jogadores pelo número”, contou o jogador, que foi contratado em 2012 e já ganhou o sonhado número.

Vencedor do Prêmio Puskas por ter marcado o gol mais bonito da temporada 2012/2013 (amistoso entre Suécia e Inglaterra), o artilheiro de 1,95 m quer continuar marcando golaços do tipo, para coroar ainda mais a sua fama de jogador diferenciado.

“Você tenta um monte de vezes fazer gols malucos e não é sempre que se tem sucesso. Eu tentei e consegui, e isso fica pra história. Fico muito feliz!”, disse.

Veja o gol que valeu o Prêmio Puskas a Ibrahimovic abaixo:

Sem mais artigos