Os italianos, acossados pela grave crise econômica e o duro plano de austeridade iniciado pelo Governo, são contrários a Roma ser candidata a sediar os Jogos Olímpicos de 2020, como demonstram as pesquisas publicadas nesta quarta-feira pela imprensa do país.

Com um clima de tristeza no ar, a maioria dos italianos deu razão ao presidente do Governo, o tecnocrata Mario Monti, quem ontem decidiu não autorizar a apresentação da candidatura de Roma como cidade olímpica para 2020 diante da falta de garantias econômicas.

Pelas pesquisas publicadas pelo jornal “La Repubblica” e o esportivo “La Gazzetta dello Sport”, mais de 80% dos entrevistados consideraram que Monti fez bem em não aprovar a candidatura.

Só os esportistas, os organizadores e os administradores de Roma e de sua província, assim como os políticos do Governo anterior que impulsionaram a candidatura, se mostraram desiludidos e criticaram Monti pela sua decisão.

O restante da sociedade italiana aplaudiu a decisão do governante, já que o país convive com uma dívida de 120% do Produto Interno Bruto e que para aliviar esta situação tomou medidas que taxam principalmente os cidadãos com pressão fiscal de 45%. 

Sem mais artigos