O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, se mostrou muito satisfeito neste domingo com os Jogos de Londres como um todo e comemorou a ausência de grandes polêmicas nos últimos 19 dias, em que aconteceram as competições.

“Estou muito agradecido e feliz. Em Cingapura (em reunião do COI antes da Olimpíada), foi dito que estes seriam os Jogos dos atletas, e assim foi. A vila olímpica, 44 recordes mundiais, 117 recordes olímpicos e atletas como Chris Hoy, Ben Ainslie, Michael Phelps, Usain Bolt, Valentina Vezzali e Andy Murray escrevendo história demonstram isso”, exaltou Rogge.

Em um discurso conjunto com o presidente do Comitê Organizador de Londres-2012 (Locog), Sebastian Coe, o dirigente belga afirmou que se tivesse que escolher um momento dos Jogos ficaria com as lágrimas do ciclista britânico Chris Hoy no pódio enquanto recebia a sétima medalha da carreira. Coe, por sua vez, destacou a população britânica, que segundo ele “dia a dia encheu os estádios dos 26 esportes e deram vida a estes Jogos”.

Rogge parabenizou o Locog por algumas escolhas, as quais considerou inteligentes, principalmente a de incluir pontos turísticos de Londres entre as sedes de eventos. Ele apontou como exemplos o Hyde Park, por onde passou o triatlo, e o Horse Guards Parade, que recebeu o vôlei de praia.

O presidente do COI também deu destaque à herança que será deixada para a capital britânica. Ele lembrou que 75% da verba dos Jogos foi investida no legado.

“Neste contexto econômico, é preciso conter as despesas e investir para deixar um bom legado. Por isso, é muito importante lembrar a grande herança que estes Jogos deixam. E também o legado intangível, porque depois desta competição milhões de jovens vão querer praticar esporte”, salientou.

Rogge também louvou a criação de um organismo dedicado unicamente a tramitar o legado do evento, que vem sendo dirigido pelo próprio Sebastian Coe. “Neste sentido, o Reino Unido está no topo atualmente. Dar valor a tudo o que vivemos na última quinzena ou nos últimos sete anos é muito importante. Não só queríamos realizar uma boa edição dos Jogos, mas também colocar a primeira pedra em muitas outras áreas”, explicou Coe.

Ambos os dirigentes avaliaram positivamente o bom ambiente que houve na cidade, os poucos problemas de transporte e, especialmente, o trabalho dos voluntários, que receberão um certificado como agradecimento.

“O transporte, apesar dos temores, foi bom, e a animação foi fantástica. Por exemplo, no metrô, as pessoas conversavam entre elas e comentavam sobre a Olimpíada. Isto até agora não acontecia, e espero que se mantenha a partir de amanhã”, enalteceu Rogge, que teve seu discurso reforçado por Coe.

“Pouco antes de começar, houve algumas críticas, mas é normal. Uma edição de Jogos Olímpicos é o desafio mais difícil que uma cidade pode enfrentar, e é normal que houvesse nervosismo em relação ao transporte e à segurança”, acrescentou o presidente do Locog.

Rogge se mostrou orgulhoso da luta contra o uso de substâncias ilícitas realizada em Londres, com 5 mil exames antidoping, dos quais, por enquanto, apenas um deu positivo. No entanto, muitos resultados ainda não foram divulgados.

Sem mais artigos