Jadson Rodrigues da Silva, um meia praticamente desconhecido no Brasil, que fez carreira na fria Ucrânia, estreou fazendo gol na Copa América e deixando Robinho no banco.

O jogador do Shakhtar Donetsk foi uma das cartas na manga do técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, para tentar surpreender o Paraguai neste sábado e para tentar melhorar a distribuição da bola e a criação de jogadas.

Após somar dois empates, o meia desponta como titular para o próximo jogo da seleção, que será contra o Equador e será decisivo para as pretensões brasileiras na competição continental.

Este jogador baixinho e discreto, de 27 anos, jogou 45 minutos contra o Paraguai e se tornou o protagonista do primeiro tempo ao abrir o placar para o time comandado por Mano Menezes. Depois, acabou sendo substituído para evitar um segundo cartão amarelo.

Em declarações à Agência Efe, Jadson admitiu que precisa “melhorar”, mas avaliou positivamente sua estreia e comemorou por ter conseguido dar “alguns passes em direção ao gol”.

E isso foi precisamente o que esperava o técnico Mano Menezes, que declarou neste domingo, em entrevista coletiva, que Jadson foi o melhor meia brasileiro na Liga dos Campeões desta temporada.

Enquanto isso, Robinho treinou neste domingo pela primeira vez entre os reservas após passar toda a partida contra o Paraguai no banco.

Em um Shakhtar com um toque brasileiro -dez dos jogadores de seu atual elenco nasceram no Brasil-, Jadson virou titular muito rápido e ganhou o Campeonato Ucraniano em seus dois primeiros anos na equipe.

Sem mais artigos