O zagueiro José María Giménez tem 18 anos e marcou na pele o maior feito de sua carreira até agora. O jogador estreou nessa terça-feira (10) pela seleção principal do Uruguai e, para comemorar e jamais esquecer, tatuou a data em seu braço direito nesta quarta-feira (11).

O jogo foi contra a Colômbia, pelas Eliminatórias Sul-Americanas, e, para sua sorte, a Celeste venceu por 2 a 0 em Montevidéu e se mantém viva para chegar à Copa do Mundo de 2014.

Ao jornal uruguaio El Observador, Giménez comentou sobre a experiência de estrear justamente tendo que parar o colombiano Radamel Falcao.

“Em um momento, ele me olhou, não sei se me desafiando só para ver a minha reação. Eu o olhei e não desviei o olhar até que ele o fizesse antes. Para distraí-lo, eu dizia coisas como, por exemplo, ‘Tem algum carro em Madrid’, e ele me olhava como que dizendo: ‘Quem é esse moleque falando comigo?’, contou.

Sobre estrear com o selecionado em um Estádio Centenário com mais de 50 mil espectadores, o jovem defensor contou que recebeu instruções de Ruso Pérez e de Diego Lugano.

“Todos falavam comigo constantemente e o que mais falou foi o Ruso Pérez. Lugano chegou em mim e me disse para não olhar para as arquibancadas”, lembra o zagueiro.

José María Giménez é revelação do Danubio e foi vendido ao Atlético de Madrid no final da última janela de transferências. Em Madri, fará parte da defesa do time de seu compatriota Diego Godín e do brasileiro Miranda, ex-São Paulo e Coritiba.

Assista a matéria no vídeo abaixo:

Sem mais artigos