Os jogadores do Racing Santander, da terceira divisão do Campeonato Espanhol, se recusaram a disputar a partida contra a Real Sociedad, pela volta das quartas de final da Copa do Rei da Espanha, devido ao atraso de salários de três meses.

Derrotados por 3 a 1 no jogo de ida, os atletas já haviam revelado antes de a bola rolar o intuito de realizar uma paralisação. Quando o árbitro Gil Manzano apitou o início do duelo no estádio El Sardinero, os 11 titulares do Racing se abraçaram no centro do campo e os reservas e comissão técnica na frente do banco.

Os jogadores da Real Sociedad passaram alguns segundos trocando passes no campo de defesa até que a bola foi jogada pela linha lateral. O árbitro perguntou ao goleiro Mario se alguém faria a cobrança e diante da resposta negativa, encerrou o confronto, que selou a classificação do time basco para enfrentar o Barcelona.

Com a partida encerrada, todos os atletas da equipe visitante cumprimentaram os jogadores do Racing, que foram muito aplaudidos pelos torcedores, que demonstraram de diversas formas apoio ao protesto do elenco e comissão técnica, mesmo este custando a possibilidade de ir às semifinais do torneio.

Além de ovacionar os jogadores, torcedores do clube espanhol se voltaram contra os camarotes, cobrando a renúncia do presidente Ángel Lavín e de toda diretoria.

O Racing Santander já disputou 44 vezes a primeira divisão do Campeonato Espanhol, a última na temporada 2011/2012. Na seguinte, houve a queda da segunda para a terceira divisão.

Sem mais artigos