A unidade da Guarda Civil espanhola que combate crimes de lavagem de dinheiro está investigando partidas beneficentes que tem como maior atração o argentino Lionel Messi, informou neste domingo o jornal espanhol “El Pais”.

 

As suspeitas da unidade policial recaem sobre cinco transferências bancárias que somadas atingem € 1 milhão (R$ 3,06 milhões), feitas por organizadores dos jogos, aponta a publicação. Nos comprovantes destas remessas aparece como destinatário a empresa “G. Marín-Messi”, que tem como sede Curaçao, nação autônoma localizada nas Antilhas Holandesas, no sudeste do Caribe.

O “El País” detalha que Guillermo Marín é amigo pessoal do craque do Barcelona, e responsável por gerir os jogos benéficos. Em depoimento como testemunha à Guarda Civil, Lionel Messi e o pai, Jorge Horacio, reconheceram a ligação com Marín. “É um empresário argentino que conheço desde 2006 e que organiza jogos da minha fundação”, disse o jogador, conforme revela o jornal espanhol.

Ainda de acordo com o “El País”, as informações e depoimentos apontam que o contato do terceiro envolvido na organização das partidas seria o pai do jogador. Jorge Horacio e Lionel Messi, no entanto, garantem que não obtiveram qualquer lucro nestes eventos.

“O advogado da empresa Total Conciertos (que organizou jogo beneficente na Colômbia) entregou a Guarda Civil cinco comprovantes de transferências bancárias, que apontam que Messi e outros jogadores cobraram dinheiro pelo evento”, aponta a publicação.

O representante da empresa ainda entregou um sexto documento, que revela pagamento de quase € 75 mil à ITS Viajes S.A., relacionada as passagens e hospedagens de atletas que participaram de partida, entre eles companheiros de Messi no Barcelona, como Daniel Alves e Javier Mascherano.

Os atletas garantiram que não receberam dinheiro para participar do jogo, mas admitiram que tiveram passagens e hospedagem pagas. As partidas investigadas foram disputadas entre 2012 e 2013, e aconteceram no México, Colômbia, Peru e Estados Unidos. A investigação foi iniciada a partida do inquérito aberto pela Agência Tributária da Espanha contra Messi, por sonegação fiscal.

Sem mais artigos