Vitor Belfort bem que tentou, e conseguiu dar bastante trabalho para o norte-americano Jon Jones, mas a derrota para o atual campeão dos meio-pesados foi inevitável. Mesmo segurando a luta até o quarto roud, o brasileiro foi finalizado na madrugada deste domingo (23), em Toronto, no Canadá, e mais uma vez adiou o sonho de voltar a faturar um cinturão do UFC.

Porém, apesar de toda a vantagem de Jone na luta, o atleta admitiu que temeu a derrota ao aparecer de tipoia após o UFC 152.“Isso só mostra que tipo de pessoa ele (Belfort) é. Ele é uma pessoa fenomenal. Realmente o respeito, é uma pessoa incrível e estou honrado em enfrentá-lo. Se ele aliviou um pouco a pressão, tenho que tirar o chapéu para ele, é uma pessoa de classe. Houve um momento em que pensei que ele poderia ter estendido ainda mais, em 25 anos não tinha sentido nada daquele jeito. Eu estava conformado com aquilo, estava pensando que não acreditava que ia perder daquele jeito. Depois, quando soltei, fiquei com o braço dormente e não tinha força no soco”, disse Jones, que disse ainda ter agradecido a Deus por ter escapado da posição, antes do segundo round.

Vale lembrar que, com a manutenção do título de Jon Jones, o Brasil segue com quatro cinturões do UFC. São eles: Renan Barão, no interino dos pesos galos, José Aldo, nos penas, Anderson Silva, nos médios, e Junior Cigano, que é o melhor dos pesados.

Sem mais artigos