O roubo de 11 milhões de rand (quase US$ 1,5 milhão) de um dos maiores bancos da África do Sul cinco dias antes do começo da Copa do Mundo não foi divulgado para que o assalto “não desse má publicidade” ao país, informou hoje o jornal local “The Star”.

Em 6 de junho, mais de dez homens invadiram uma agência do banco Nedbank em Johanesburgo, “desligaram o alarme, cortaram a porta da caixa-forte com equipamento específico e fugiram com o dinheiro”, afirmou hoje o diário sul-africano.

Segundo a fonte do jornal, cuja identidade não foi revelada, “o roubo não foi divulgado por causa da grande quantidade de pessoas que visitariam o país durante a Copa do Mundo”, que começou no último dia 11 e chega ao fim neste domingo.

“(O assalto) teria dado uma má imagem da África do Sul”, apontou a fonte.

Segundo o “The Star”, este roubo é apenas um dos “inúmeros assaltos sofisticados que estão acontecendo em Johanesburgo”.

Ontem, diz o jornal, dois homens falharam em sua tentativa de abrir a caixa-forte de outra agência bancária em Johanesburgo, neste caso do First National Bank (FNB).

As distintas fontes do diário, nenhuma delas identificada, afirmaram que nos últimos meses os roubos estão sendo realizados por pessoas “altamente qualificadas” que “conhecem os sistemas de segurança dos bancos” e que “provavelmente contam com uma cópia das chaves das instalações”.

O porta-voz da Polícia sul-africana, Govindsamy Mariemuthoo, negou que o crime do dia 6 de junho tivesse sido escondido e afirmou que teria emitido um comunicado caso tivesse recebido perguntas dos veículos de comunicação.

Sem mais artigos