O juiz Dunstan Mlambo, do Tribunal Superior de Pretória, autorizou nesta terça-feira (25) a transmissão ao vivo de parte do julgamento do atleta paralímpico Oscar Pistorius, que começará em 3 de março na capital sul-africana.

Mlambo justificou sua decisão no “interesse público” do caso e explicou que a transmissão “permitirá que um maior número de gente que não pode assistir ao processo poderá segui-lo”, informa a agência de notícias sul-africana Sapa.

No entanto, o discurso de Pistorius perante o juiz não poderá ser televisionado. O ex-atleta é acusado do assassinato da modelo Reeva Steenkamp, que era sua namorada.

As partes do julgamento que poderão ser vistas pela televisão serão a apresentação do caso por parte do promotor, os relatórios finais da acusação e da defesa, os testemunhos dos especialistas e da polícia e a leitura da sentença, informam a imprensa local.

O tribunal, que se pronunciava hoje sobre o pedido da televisão sul-africana eNCA de transmitir o julgamento, advertiu que as três câmaras permitidas deverão ser instaladas previamente na sala.

As câmaras deverão ser colocadas 72 horas antes do início do processo e serão manuseadas por controle remoto, porque o juiz proibiu a presença de cinegrafistas na sala.

“O juiz apontará quando a gravação pode começar e quando esta deve parar”, disse Mlambo, que exigiu à eNCA o uso de material de última geração que evite brilhos ou outros efeitos que poderiam afetar o desenvolvimento do julgamento.

A defesa de Pistorius tinha se oposto à transmissão do julgamento, ao considerar que um processo televisionado poderia interferir no procedimento e induzir a um julgamento midiático paralelo.

Uma plataforma de televisão privada sul-africana colocará à disposição, um dia antes do começo do julgamento, um canal dedicado exclusivamente ao caso, que transmitirá desde então sobre o julgamento as 24 horas do dia.

Pistorius matou Reeva Steenkamp em sua casa de Pretória no dia 14 de fevereiro de 2013.

Defesa e acusação aceitam que o atleta disparou através da porta fechada do banho.

No entanto, Pistorius assegura que abriu fogo ao pensar que um ladrão tinha invadido sua casa através da janela do banheiro.

O promotor acusa o corredor de querer matar Steenkamp – que então tinha 29 anos – e pede que seja condenado por “assassinato premeditado”, o que poderia acarretar a Pistorius, de 27 anos, prisão perpétua.

Sem mais artigos