O Tribunal Correcional de Paris isentou nesta quinta-feira (22) o humorista francês Christophe Alévêque, de quem o ex-jogador Zinedine Zidane reivindicava 75 mil euros por tê-lo chamado de “cabo eleitoral de três neurônios” e de prostituta.

Os argumentos do tribunal, segundo a imprensa francesa, não serão divulgados até a próxima segunda-feira. O motivo da disputa é uma entrevista publicada por uma revista em janeiro de 2011, na qual Alévêque, conhecido por suas constantes provocações, atacou Zidane depois que ‘Zizou’ cobrou, segundo o humorista, 11 milhões de euros para promover a candidatura do Catar para sediar da Copa do Mundo de 2022.

“É uma espécie de prostituição, esse homem é uma p…”, afirmou o humorista, que também arremeteu contra as constantes prestações propagandistas do ex-jogador da seleção francesa.

Em uma primeira audiência, em fevereiro passado, diante do Tribunal de Paris, Alévêque reconheceu suas declarações e as justificou dizendo que “o bobo da corte tem direito de rir do rei” e a pôr em dúvida um mito de toda a França.

“Se tivesse que comparecer ao tribunal por cada pessoa que critico em meus espetáculos, teria que viver aqui”, disse o humorista perante a corte, lamentando que em seu país “o caminho da caricatura é cada vez mais restrito”.

Os advogados de Zidane haviam considerado que as palavras de Alévêque ofenderam o jogador e sua família, e afirmaram que embora ‘Zizou’ não tenha o costume de comparecer aos tribunais pelos insultos ou caricaturas que fazem de sua pessoa, dessa vez, “os limites foram superados”. 

Sem mais artigos