A suspensão definitiva que a Agência de Antidoping dos Estados Unidos (USADA) impôs ao ex-ciclista Lance Armstrong lhe impedirá de correr a próxima Maratona de Chicago.

Os organizadores da corrida confirmaram na sexta-feira que Armstrong não está inscrito oficialmente para a tradicional prova atlética que será realizada no próximo dia 7 de outubro.

Armstrong esperava inscrever-se com a equipe “Livestrong”, que representa a organização beneficente que luta contra o câncer, cuja finalidade era arrecadar fundos para causa administrada pela Fundação Lance Armstrong.

A decisão de não permitir que Armstrong possa correr a maratona é considerada pelos diretores da fundação como algo “frustrante e lamentável”.

O presidente e diretor-executivo da Fundação Lance Armstrong, Doug Ulman, reconheceu que era algo muito negativo para sua organização já que minava os esforços que fazem para arrecadar fundos.

No entanto, a Maratona de Chicago é realizada sob a supervisão da Federação de Atletismo dos EUA e a punição a Armstrong lhe impede de entrar em qualquer evento organizado, autorizado ou aprovado pelas organizações que seguem as regras da Agência Mundial Antidoping.

O “Ironman França” também proibiu a participação de Armstrong por razões similares.

Armstrong negou o doping, mas decidiu no mês passado não lutar contra as acusações apresentadas pela USADA de participar de uma cadeia de doping sistemático de 1998 até 2005.

A Agência Antidoping norte-americana invalidou 14 anos de seus resultados – incluindo seu recorde de sete títulos da Volta da França – e lhe proibiu de participar ou envolver-se em competições esportivas federadas após concluir que utilizou substâncias proibidas para melhorar seu rendimento.

Sem mais artigos