Luís Álvaro Ribeiro, presidente do Santos, falou ao vivo com a equipe de Esportes da Jovem Pan durante o Jornal de Esportes sobre o assunto do momento: a permanência de Neymar no clube até 2014.

A notícia, que jogou um “balde de água fria” nas intenções de Barcelona e Real Madrid, que foram devidamente comunicados sobre o desfecho da história.

A postura do clube mostra uma nova tendência: “Esta na hora de vender o espetáculo e não o jogador”, resumiu Luís Álvaro. Ainda sobre isso, ele ressaltou: “a multa (que foi dobrada) é meramente burocrática”, até porque Neymar não tem intenção de deixar o clube antes da Copa do Mundo: “entendo que a palavra e compromisso assumidos entre o clube e o jogador são maiores”.

Ele também falou sobre as forças contrárias, como as declarações de Ronaldo, amigo pessoal do jogador e pessoa próxima ao Real Madrid, que aconselharam o jovem a atuar na Europa: “eu não ganho nada com isso, minha continua a mesma com ou sem Neymar (…) mas o melhor para ele é ficar por aqui, onde ele é mito”.

Ao final do contrato, o jogador terá 23 anos e LAOR sabe que, neste ponto a saída seria inevitável: “estará no alto da carreira e poderá jogar na Europa. Não adianta arrancar frutos quando eles não estão no alto de seu esplendor”, ressaltou, antes de concluir: “Pelé não precisou jogar lá fora para ser o maior da história”.

Sem mais artigos