Esporte e carnaval: uma mistura perfeita

Em 1986, a Beija-Flor fez o enredo
Em 95, a Estácio de Sá aproveitou o centenário do Flamengo para homenagear o clube e ficou em 7º lugar
Em 1997, a Mangueira lembrou da origem das Olimpíadas e aproveitou para apoiar a campanha Rio-2004, que acabou perdendo para Atenas
No centenário do Vasco, a Unidos da Tijuca lembrou do clube. Craques como Roberto Dinamite e Edmundo estiveram no desfile. Se em campo o time conseguiu a Libertadores, no sambódromo foi mal e acabou rebaixada
A Gaviões da Fiel começou como torcida organizada do Corinthians. Em 98, homenageou o clube, mas ficou apenas na 5ª posição
A Vila Isabel homenageou Nilton Santos em 2002 e perdeu o título do Grupo de Acesso por muito pouco
Também em 2003, o futebol voltou a ser tema de samba-enredo. O Fluminense foi homenageado pela Acadêmicos da Rocinha, do Grupo de Acesso, mas a escola ficou apenas em 13º lugar
Ronaldo, que havia levado o Brasil ao penta em 2002, foi homenageado pela Tradição no ano seguinte. Com problemas de saúde, não participou do desfile da escola
Em 2007, a Portela aproveitou que o Rio de Janeiro receberia os Jogos Pan-Americanos e ficou apenas na 7ª posição
Aproveitando o centenário do Corinthians, a Gaviões voltou a homenagear o clube e novamente ficou em 5º lugar. Que bela coincidência, hein?
A Unidos da Tijuca lembrou dos 20 anos da morte de Ayrton Senna em 2014 e homenageou o ex-piloto. E foi bem, conquistando o carnaval carioca daquele ano!
Mais de uma década depois de ser lembrado na Sapucaí, o atacante Ronaldo foi homenageado no Anhembi. No carnaval paulistano, a Gaviões da Fiel fez um samba-enredo para o craque que jogou no Corinthians por duas temporadas. Ao lado da família, ele no último carro alegórico com esse terno dourado de gosto duvidoso
Zico, grande craque do Flamengo, foi lembrado pela Imperatriz Leopoldinense em 2014, mas a escola ficou apenas no 5º lugar

Se engana quem acha que esporte e carnaval não andam juntos. Paixões da maioria dos brasileiros, os dois andam lado a lado durante uma pequena parte do ano e ambos são patrimônios brasileiros por nosso talento acima da média. Alguns atletas já chegaram a atravessar o oceano para curtir a festa, como Romário em 1994 e Edmundo em 1998. A questão é que os atletas não perdem a chance de curtir o carnaval brasileiro.

Por isso, vamos lembrar os esportistas e clubes já homenageados. O futebol, claro, é que domina o maior número de aparições nos sambódromos. No Rio de Janeiro, principalmente, onde os grandes clubes já foram homenageados, como Vasco, Flamengo e Fluminense, além de jogadores como Zico. Em São Paulo, o craque Ronaldo foi lembrado em 2014 uma década depois de ter sido homenageado na Sapucaí.

Outros atletas, no entanto, já foram homenageados. Ayrton Senna foi lembrado pela Unidos da Tijuca em 2014 e levou a escola ao título. O Pan de 2007 e a candidatura à Olímpiada de 2004 também viraram sambas na passarela.

Isso sem falar nas escolas de samba de São Paulo formadas por torcidas organizadas de time de futebol, que levam os escudos de Corinthians, Palmeiras e São Paulo para o Anhembi.

Lembramos 11 momentos em que o esporte foi destaque nas escolas de samba

Sem mais artigos