A relação entre o técnico Luiz Felipe Scolari e o meia Lincoln nunca foi das mais próximas. No período em que o jogador esteve no Palmeiras, nunca foi titular unânime na equipe de Felipão. Muito pelo contrário, o atual camisa 99 do Avaí chegou a ficar meses sem sequer ser relacionado para um jogo oficial pelo seu ex-clube apenas por opção do treinador.

Nesta quinta-feira (1º), em entrevista ao canal “Sportv”, Lincoln decidiu esclarecer alguns pontos da relação com o antigo técnico, dizendo inclusive que alguns atletas do grupo alviverde estão infelizes com a forma que Felipão tem de comandar.

“O que me motivou a sair do Palmeiras foi realmente o Felipão e o seu auxiliar técnico, o Murtosa. Eu respeito e respeitei sempre as decisões, vocês nunca viram eu indo na TV questionar e falar alguma coisa, mas é inadmissível. Eu confio em mim, sei que o Palmeiras tem muitos jogadores de qualidade e eu sei que eu poderia ser mais útil do que eu fui. Eu joguei fora da minha posição, como tantos outros ali jogam e jogaram fora da posição. Jogadores que foram contratados, com grande nível, por exemplo o Kleber, que joga sempre fora da posição, ou sem esquema para priorizar o Kleber. Não tem esquema para ele ser artilheiro”, afirmou o meia.

A parte que mais incomodava Lincoln era o fato de todos na equipe paulista serem incentivados por Felipão a marcar, além da falta de diálogo do comandante com o grupo de jopadores.

“O Felipão nunca me chamou para falar o que acontecia. Eu só percebi que não teria clima pela minha experiência que eu tinha no futebol. E eu acredito que tem mais jogadores lá que estão infelizes. Às vezes, o Felipão perde um pouco o controle, falta com um pouco de respeito, mas é o jeito dele. É o jeito do Felipão”, desabafou.

Sem mais artigos