Que o clima na Portuguesa não andava os melhores desde o início do Campeonato Paulista, isso ficou claro e nítido durante entrevistas e até mesmo dentro de campo, mas o que poucos sabem é que a demissão do técnico Jorginho, da Portuguesa, envolve muitas coisas, que começaram a ser semeadas desde o fim da temporada passada.

Tudo começou quando a Portuguesa conquistou o acesso para a Série A do Campeonato Brasileiro. Com o sucesso conquistado pelo time em 2011, os jogadores que mais se destacaram viraram vitrine e começaram a ser negociados, para o descontentamento do treinador. Matheus e Marco Antônio foram os primeiros a deixar o clube, indo para Cruzeiro e Grêmio, respectivamente. E a folha salarial do elenco foi reduzida de 30% de um ano para o outro. Edno seguiu o mesmo caminho que os companheiros e a espinha dorsal lusitana ia se desfazendo.  

Além dos jogadores, o técnico Jorginho também ficou mais visível no cenário nacional e recebeu um aumento da diretoria, que subiu seus vencimentos mensais de R$70 mil para R$130 mil, e sua comissão técnica também foi bonificada. Com isso, o clima começou a esquentar quando os jogadores, que não tiveram seus salários reajustados, souberam da promoção.

E a chegada de atletas sem muita expressão no cenário nacional, como Rodriguinho, Diego Souza e Rodrigo Calaça, a lesão do lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro e o afastamento do goleiro Weverton, deixaram o clima mais pesado nos bastidores do Canindé.

Mesmo com todos esse problemas, Jorginho ainda seguia firme no comando da equipe, ou pelo menos era o que a diretoria queria demonstrar, pois após o rebaixamento para a Série A2 do Paulistão, na última rodada do estadual, o site oficial da Lusa emitia uma nota de pesar pelo ocorrido, prometia reforços e garantia a permanencia do treinador.

Lista de reforços e o fim do ciclo

Anunciado como novo homem forte do futebol da Portuguesa na última quarta-feira (18), Candinho recebeu, um dia depois, uma lista com 12 nomes de possíveis reforços pedidos pelo então técnico Jorginho.Ao ler os nomes, o novo dirigente teria disparado a seguinte frase “só tem dois nomes aqui que realmente interessam”. Ou seja, Candinho contestou as opções de Jorginho, o que foi a gota d’água para o treinador lusitano, descontente com a chegada de Candinho, que aproveitou a situação para se desligar da Portuguesa.

E o mais estranha foi que, antes prestigiado pelos dirigentes lusitanos, Jorginho foi substituído por Geninho horas depois de se desligar do clube. E por falar no ex-técnico do Comercial, Geninho só acertou com a Lusa após a negativa de Celso Roth, que era o grande desejo da equipe paulista para o Campeonato Brasileiro.

Sem mais artigos