Depois de muita conversa, muito uruguaio dizendo que não foi nada, o próprio Luis Suárez veio a público para admitir que mordeu Giorgio Chiellini no jogo entre o seu Uruguai e a Itália, no último dia 24, na Arena das Dunas. O jogador utilizou suas redes sociais para, em carta aberta, se desculpar com os fãs do esporte e o jogador agredido, além de prometer que tal fato jamais acontecerá outra vez.

O próprio Suárez não havia dito nada sobre a mordida até o momento, mas foi ferrenhamente defendido pelo zagueiro Diego Lugano, capitão da seleção, que rejeitou a sanção imposta ao companheiro.

Pelo tom da carta, Suárez mostra que não queria prejudicar a delegação Celeste com o continuar da polêmica, que dividiu opiniões, ainda mais pelo fato de o jogador em questão já ter mordido outros adversários em anos passados e ter um caso de racismo no currículo.

Até o presidente uruguaio, José Mujica, havia ficado ao lado do jogador, inclusive chamando ao Fifa de “cambada de velhos filhos da p…” por causa da sanção dada a Luisito, de nove jogos oficiais de suspensão e quatro meses de gancho do esporte (assista abaixo).

Leia abaixo a carta na íntegra:

Depois de vários dias em casa com a minha família, tive a oportunidade de recuperar a minha calma e refletir sobre a realidade do que ocorreu na partida entre Itália e Uruguai no dia 24 de junho de 2014.

Independentemente das consequências e das declarações contraditórias que apareceram nestes últimos dias, tudo isso foi sem a intenção de interferir na boa performance da minha seleção nacional. A verdade é que o meu colega Giorgio Chiellini sofreu, como resultado físico, uma mordida na colisão que ele teve comigo. Por isso:

– Arrependo-me profundamente do ocorrido.

– Desculpo-me com Giorgio Chiellini e toda a família do futebol.

– Eu juro ao público que nunca mais acontecerá outro incidente como aquele.

Montevidéu, 30 de junho de 2014.

Abaixo está um print da imagem compartilhada por Luisito com suas declarações:

Sem mais artigos