Cristiano Ronaldo balançou a rede duas vezes na vitória sobre Camarões por 5 a 1 e se tornou na noite da última quarta-feira (05)  o maior artilheiro da história da seleção de Portugal, com 49 gols, mas garantiu após a partida que não entra em campo pensando em superar marcas.

“Não busco bater recordes. Eles acontecem de forma natural, com muito esforço, dedicação, com uma excelente seleção que temos, e um bom treinador. Sabia que mais que mais cedo ou mais tarde isso aconteceria”, disse Cristiano ao canal de televisão português RTP, ao qual evitou fazer uma previsão de quantos gols ainda marcará na carreira.

“Não prometo uma quantidade exata de gols. Prometo, sim, esforço, dedicação e trabalho”, limitou-se a dizer o jogador de 29 anos.

Cristiano soma 49 gols em 110 partidas pela seleção portuguesa e supera assim ao já aposentado Pedro Pauleta, que marcou 47 em 88 jogos.

Sem mais artigos