O Manchester United decidiu que não irá vender o atacante Wayne Rooney para o Chelsea, não importando qual valor seja oferecido e nem os potenciais riscos de ter um jogador infeliz em seu elenco. A posição é irreversível e representa um significativo retrocesso nas pretensões do técnico José Mourinho, que queria tê-lo na sua linha de ataque para esta temporada. A notícia foi dada em primeira mão pelo site do jornal inglês The Guardian nesta terça-feira (13).

O Chelsea já havia oferecido R$ 82 milhões no dia 16 de julho e R$ 89 milhões no último dia 4 para contratar o atacante e tinha reais esperanças de que os dirigentes do United cederiam à oferta, ainda mais por causa da deteriorada relação do jogador com o clube.

O time de Manchester espera mostrar que ainda conta com o futebol de Rooney, que está concentrado para o jogo da Inglaterra contra a Escócia, nesta quarta-feira (14), em Wembley. A ideia é deixá-lo pensar e perceber que ainda pode jogar no clube, sendo que precisa apresentar bom futebol a apenas um ano da Copa do Mundo.

A publicação afirma que o técnico David Moyes fará um pedido público para que os torcedores reconheçam a contribuição do jogador nesses nove anos de Old Trafford para que ele não seja mal recebido caso venha a pisar no gramado novamente com a camisa vermelha.

Manchester bate o pé para o Chelsea e declara que Rooney não está à venda

Sem mais artigos