Anfitriões do Mundial Sub-17 de seleções realizado pela Fifa deste ano, os Emirados Árabes ganhou um torcedor inesperado e de peso no último domingo. Maradona revelou em entrevista coletiva para promover a venda de ingressos para a competição que não irá apoiar a Argentina no torneio por conta de problemas com a AFA (Associação de Futebol Argentina). Chateado com a demissão do cargo de técnico da seleção do seu país após a derrota para a Alemanha nas quartas de final da Copa de 2010, El Pibe desabafou.

“Vou torcer pelos Emirados Árabes, não pela Argentina, por causa de minhas diferenças com o meu país – afirmou Maradona, convocando em seguida a torcida local para apoiar a seleção do país asiático”, disse o maior ídolo futebolístico da Argentina.

Treinador do Al Wasl no ano passado, Maradona tem relações profissionais com os árabes. Famoso mundialmente, o argentino é embaixado global para o esporte de Dubai, com foco no desenvolvimento do futebol na cidade do Golfo Pérsico e na divulgação das competições com sede no país pelo mundo.

O apoio de Maradona para a seleção dos Emirados Árabes terá que ser grande, já que o primeiro adversário dos donos da casa será o Brasil. Além da seleção canarinho, o Grupo A ainda conta com Eslováquia e Honduras.

Sem mais artigos