De volta ao Brasil após a conquista do Mundial de Clubes, as meninas do Sollys/Nestlé eram apenas sorrisos no desembarque no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, São Paulo. Integrante da equipe nas derrotas em 2011 e 2010, a capitã Jaqueline voltou a falar da emoção da conquista.

“É uma sensação especial ser campeã mundial porque lutamos muito nestes três anos. No primeiro batemos na trave, mas ficamos em segundo. No ano passado tanto eu quanto as outras meninas da Seleção não puderam participar. Agora tenho esse título na minha carreira e isso é para a vida inteira”,  disse Jaqueline.

Já Sheilla, eleita a melhor jogadora da competição e a maior pontuadora, preferiu destacar que o Brasil é o país do vôlei com mais essa conquista.

“Estou muito feliz porque o Mundial era um dos objetivos nossos neste ano. Era um título inédito tanto para mim quanto para o time. Saímos com o dever cumprido e com a certeza que jogamos muito bem a competição. Hoje o Brasil é, sem dúvida, o melhor país quando o assunto é voleibol. O Brasil agora é o país do vôlei”, afirmou.

No retorno ao país, as atletas do time paulista chegaram com o troféu a mostra e chegaram a posar para fotos ao lado dele.

O Sollys/Nestlé foi campeão do Mundial na última sexta-feira (19) após bater o Rabita Baku, do Azerbaijão, por 3 sets a 0.

Sem mais artigos