O mercado de inverno europeu movimentou muito os bastidores de várias equipes, e apesar de diversos nomes brasileiros terem surgidos, poucos jogadores se transferiram.

A nível econômico, a única contratação de peso do futebol luso foi a do brasileiro Danilo, apresentado no time português em janeiro deste ano em uma transferência que valeu 17 milhões de euros.

Em contrapartida, o Porto deixou sair quatro jogadores: o uruguaio Fucile ao Santos, o brasileiro Walter ao Cruzeiro, o argentino Belluschi ao Genoa e o colombiano Guarín ao Inter de Milão.

O Sporting, de Lisboa, também reforçou sua equipe com a transferência de dois brasileiros: o zagueiro Xandão e o meio-campista Renato Neto.

Na Alemanha, apenas o Wolfsburg contratou brasileiro no mercado de inverno. Dentre as sete transferências realizadas, está o zagueiro Felipe, procedente do Nacional de Funchal, e o atacante marfinense Ibrahim Sisoko.

Muitas contratações e poucas estrelas resumem bem o mercado de inverno do futebol italiano, que devido à falta de fundos nos cofres dos clubes não conseguiu contratar grandes nomes.

Além do atacante argentino do Manchester City, Carlitos Tévez, que não se transferiu para o Milan, o brasileiro Nilmar, do Villarreal e o japonês do CSKA Moscou, Keisuke Honda, não chegaram a Lazio.

Quem veio do Porto para atuar na Itália foi o colombiano Fredy Guarín, cuja contratação pela Inter de Milão foi uma das últimas a serem oficializadas. O colombiano terá como companheiro o brasileiro Juan, de 20 anos, que veio do Internacional.

Em contrapartida, a equipe italiana se desfez de seis jogadores, entre eles o brasileiro Thiago Motta, que foi para o Paris Saint Germain.

A Roma acertou o empréstimo do meia Marquinho, ex-Fluminense, e da jovem promessa do Nacional Montevidéu, Nicolás López, de 19 anos.

Sem mais artigos