Nem a greve dos metroviários, que neste sábado (07) se estendeu pelo terceiro dia consecutivo, atrapalhou os colecionadores do álbum de figurinhas da Copa do Mundo de se reunirem no vão livre do Masp, na Avenida Paulista, um dos principais pontos de troca da capital. Cerca de 200 pessoas aproveitaram a agradável tarde de sol com a expectativa de completarem suas coleções antes do torneio começar, na próxima quinta-feira (12).

“Vim de metrô. Lá o metrô não está funcionando, na Zona Leste, onde moro. Eu vim de trem. Peguei o trem, desci na Luz, e, como vi que a Linha Amarela está funcionando, desci ali e fiz a baldeação na Consolação”, explicou seu roteiro o auxiliar de manutenção, Marcos de Andrade.

Aos 35 anos, esta já é a terceira vez que coleciona o álbum de figurinhas do torneio. Mas isso não significa que começou em 2006.

“Coleciono desde criança, desde a Copa de 1994. Só não colecionei de 1998, 2002 e 2010, mas o de 2006, da Copa da Alemanha, eu completei. Não tive tempo de fazer todos, ficar correndo atrás de figurinhas”, explicou.

Em busca do “tempo perdido”, Marcos está prestes a completar o terceiro álbum do Mundial de 2014.

“Primeiro fiz os de brochura, aí só depois fiquei sabendo do de capa dura, que é edição especial, né? É a primeira vez que venho ao Masp. Aqui rola muita figurinha, dá pra trocar bastante”, justificou-se.

Com quase a metade da idade do nosso primeiro entrevistado, Harley Pinheiro, de 18 anos, tem praticamente a mesma experiência de Marcos no quesito coleção de álbum da Copa. O estudante já parte para o seu terceiro Mundial, mas com a contrapartida de estar na brincadeira de forma consecutiva, e sempre completando os livros de cromos.

“Já é a terceira vez que eu venho esse ano, e eu já tinha vindo também em 2010 para trocar. Vim aqui duas vezes em 2010 e, com isso, consegui completar o álbum. Lembro que vim com um bolinho de, mais ou menos, 150 repetidas, e consegui trocar tudo”, contou o rapaz, outro morador da Zona Leste de São Paulo, que relatou ter feito o mesmo percurso de Marcos.

Mesmo relatando não ter tido sorte na semana passada no vão livre do Museu de Arte de São Paulo, Harley voltou neste final de semana com o intuito de completar a coleção antes do início da Copa.

“Da última vez que vim, estava chovendo e muito frio, então fiquei pouco. Sempre tento completar antes da Copa. Na Copa passada eu completei antes, a Copa começou acho que dia 11 e eu completei no dia 6”, respondeu, abusando da excelente memória e mostrando cerca de 80 figurinhas repetidas que levou na ocasião, mais ou menos o que precisa para ter mais um álbum perfeitamente completo.

Pedro Carrion (foto abaixo), estudante de jornalismo que levou a namorada para a empreitada de completar o álbum da Copa, não teve nenhum problema para chegar ao local. Além de estudar “ali do lado”, na Faculdade Cásper Líbero, também mora bem perto do local. Porém, o futuro jornalista foi ao local neste sábado “para decidir”, e é outro que defende a ideia de terminar a coleção antes do dia 12 de junho.

“Aqui é superbom pra gente, porque, só cinco minutinhos pra andar, faz toda a diferença. A gente já comprou uns R$ 15 reais hoje, mas não achamos nada (figurinhas que não têm). Aqui, se a gente fica meia horinha, já consegue bastante. Hoje eu vim com o objetivo de completar o álbum”, comentou o rapaz.

Dentre muitas pessoas, pouca conversa, muito “estudo”. Pessoas de várias idades trocavam cromos e checavam seus papeizinhos que marcam os que faltam. Teve até gente que não quis atender a reportagem do Portal Virgula  para focar unicamente nas trocas.

“Já vim umas três vezes (ao Masp) e hoje eu vim pra definir. Faltam seis figurinhas”, disse Pedro, mas com certeza reunindo nesta resposta as esperanças de praticamente todos ali.

Até porque, para “viver a experiência Copa do Mundo”, colecionar o álbum oficial é parte integrante de “viver a experiência completa da Copa do Mundo”.

“Com certeza, concordo com essa ideia. Você lembra, quando passa, o que foi o evento, o quanto que te marcou. Vendo as fotos do jogadores… Peguei para olhar o álbum da Coreia e do Japão (de 2002) esses dias, que tenho guardado lá em casa, e foi assim, muito legal. Ver o Ronaldo, o Rivaldo…”, contou Pedro que, deste Mundial de 2002 para cá, só não completou o álbum de 2006.

Para ele, agora, só resta concluir a brincadeira e esperar o início do Mundial.

“Estou confiante, porque estou vendo uma galera com uns bolos gigantes. Estou bem confiante que vai dar certo”, finalizou.

A troca de figurinhas no vão livre do Masp acontece há várias semanas aos sábados e domingos, a partir das 14h, mas um pouco antes você também vai encontrar colecionadores por lá. Espera-se que a ação continue durante a Copa do Mundo.

Veja mais fotos da troca de figurinhas no Masp na galeria acima!

Mesmo com greve do metrô, centenas vão ao vão livre do Masp trocar figurinhas

Sem mais artigos