O Ministério das Cidades divulgou uma nota nesta quinta-feira para justificar a mudança da obra de transporte urbano em Cuiabá (MT) para a Copa do Mundo. A obra, que seria um BRT (sistema de ônibus com corredor), foi trocada para um VLT (sistema ferroviário), que corre o risco de não ficar pronto para o evento.

De acordo com denúncia do jornal “O Estado de S. Paulo”, a alteração foi feita contrariando parecer técnico que desaprovava o VLT.

No comunicado desta quinta, o ministério defende que a mudança de parecer teve caráter técnico e é um procedimento normal.

“Seguindo o rito processual da administração pública, os técnicos envolvidos no trabalho discutiram, analisaram e reavaliaram a pertinência ou não do novo modelo de transporte proposto pelo Governo do Estado, tendo manifestado opinião divergente ao parecer final, opinião essa que foi revisada e refutada tecnicamente no momento da conclusão da análise”, aponta o texto.

Ainda segundo a pasta, o aumento do custo da obra – o BRT era avaliado em R$ 500 milhões e o VLT está estimado em R$ 1,2 bilhão – não será coberto por financiamento do governo federal e, sim, pelo governo do Mato Grosso, que pediu a mudança.

Sem mais artigos