A Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil pela primeira vez em mais de 60 anos, ocorrerá “à altura das expectativas do restante do mundo”, e a diplomacia permitirá que todos os problemas sejam superados sem maiores dificuldades. A posição é do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, que participou nesta segunda-feira da abertura da Soccerex, uma feira anual internacional que tem como assunto o esporte mais popular do Brasil.

Aldo Rebelo, que substituiu Orlando Silva, de quem é companheiro no PCdoB, após as denúncias de irregularidades em contratos com ONGs, “pegou o bonde andando” e tenta “resolver o meio-campo” com a Fifa, mas neste final de novembro, o paulista adotou um tom conciliador, algo que deve ser necessário para a resolução de alguns pontos dissonantes, como valor dos ingressos e venda de bebidas alcoólicas nos estádios, apontou Rodrigo Viga.

O ministro classificou as contradições como naturais, revelando que “estamos dispostos a cooperar com a Fifa, o Comitê Organizador Local, com os patrocinadores, com os governos estaduais e as prefeituras”, para que o esforço que é realizar a Copa do Mundo ocorra em harmonia e, assim, permita um grande torneio em 2014, mesmo com as contradições naturais de um evento tão grande.

Sem mais artigos