Gylmar dos Santos Neves, goleiro da seleção que ganhou as Copas do Mundo de 1958, na Suécia, e de 1962, no Chile, morreu neste domingo aos 83 anos, um dia depois do futebol nacional perder o ex-lateral De Sordi, companheiro do arqueiro no primeiro título mundial conquistado pela seleção brasileira.

Gylmar estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, desde 8 de agosto, em função de um infarto e de uma infecção urinária.

O bicampeão do mundo já apresentava sequelas de um AVC (acidente vascular cerebral) sofrido em 2000 e que o deixou com dificuldades de fala e para andar.

O ex-goleiro nasceu em Santos, começou no futebol no Jabaquara mas se projetou no Corinthians, onde atuou de 1951 a 1961.

Gylmar encerrou sua carreira no Santos, onde venceu a Copa Libertadores e os mundiais de 1962 e 1963, jogando ao lado de Pelé.

No clube de Parque São Jorge, tomou o histórico primeiro gol de Pelé, conquistou três Campeonatos Paulistas e duas Copas Rio-São Paulo.

O Corinthians lamentou em nota oficial a morte de Gylmar, considerado um dos melhores goleiros da história do clube paulista.

Já De Sordi morreu neste sábado, aos 82 anos, em Bandeirantes, no Paraná. O ex-zagueiro estava internado há uma semana em função de uma pneumonia.

Sem mais artigos