Nesta sexta-feira 13, que para muitos é um dia de sorte e/ou azar, estreia o tão aguardado filme “Mercenários”, protagonizado e dirigido pelo astro Sylvester Stallone e gravado em terras brasileiras. Até ai tudo bem, mas qual seria a ligação do longa metragem com o esporte brasileiro?

É bastante simples. A palavra mercenário é um termo bastante utilizado pelos torcedores do Brasil para nomear quem troca constantemente de clube ou até mesmo aquele jogador que aceita uma transferência para uma equipe de menor expressão somente pelo alto valor oferecido.

Por isso, o Virgula Esporte listou os os 10 jogadores mais ligados a dinheiro do futebol brasileiro. Veja nossa escalação e dê também a sua opinião.

1) Léo Lima: Com apenas 28 anos, o meia coleciona nada menos do que nove clubes brasileiros em seu currículo, sendo sete deles (Santos, Grêmio, Flamengo, Palmeiras, Vasco, Goiás e São Paulo) a partir de 2005. Mesmo rodado, quase sempre atua como titular. Fica no primeiro posto por ser o segundo mais novo da lista e por passagens em rivais paulistas e cariocas.

2) Fabiano Eller: O zagueiro andarilho de 32 anos apareceu no Vasco em 1997. No Rio, passou ainda por Fla e Flu. Em São Paulo, defendeu Palmeiras e Santos. Para fechar, tem o Inter, seu atual clube, na extensa lista  de clubes.

3) Lopes: O meia ofensivo, 31 anos, hoje disputa a Série A pelo Ceará. Mas a lista de times que já defendeu contém seis times do futebol brasileiro. A primeira virada de casaca foi quando mudou do Flamengo para o Fluminense, em 2003. De quebra, atuou nos dois grandes de Belo Horizonte: Cruzeiro e Atlético. E no Palmeiras. E no Santos. Além do Juventude, equipe que defendeu em 2009.

4) Léo Moura: Quem vê a rotina de tapas e beijos entre o lateral-direito, 31 anos, e a torcida flamenguista não faz ideia do histórico do moço. Léo jogou pelos quatro grandes times cariocas: Botafogo, Vasco, Fluminense e Flamengo. Atuando por Palmeiras (2002) e São Paulo (2003), não fez sequer um golzinho.

5) Carlos Alberto: O começo foi no Fluminense, em 2001. Depois de jogar no Porto, em Portugal, voltou ao Brasil em 2005. E tratou de colecionar carimbos em sua carteira de trabalho. Em menos de quatro anos, Corinthians, São Paulo, Botafogo e Vasco já assinaram com o meia. E ele tem só 25 anos.

6) Petkovic: Só nesta década, o armador sérvio pulou de CT em CT no Rio, batendo faltas (e cartão) no Flamengo, Vasco e Fluminense. Não costuma correr muito, mas volta e meia resolve. Rodou por Goiás, Santos e Atlético-MG antes de retornar ao Fla.

7) Leandro Amaral: Foi na Portuguesa que ele surgiu e o que credencia o jogador de 33 anos é o vai-e-vem de seu histórico. Alguns evitam emendar times rivais, mas ele não. Entre 2002 e 2003, enfileirou São Paulo, Palmeiras e Corinthians. Depois, foi para o Vasco (2006). E fechou com o Flu. Retornou ao Vasco. E reapareceu no Flu. Mas agora parece que ele sossegou (será?!) e está no rival Flamengo.

8) Carlinhos Bala: No Campeonato Pernambucano, nenhum atleta é mais mercenário do que Bala. Santa Cruz, Sport e Náutico apostaram suas fichas nas arrancadas do jogador de 1,62 m. Cansado de rodar por terras nordestinas, o atacante agora arrisca seus arremates no centro-oeste brasileiro, pois é o mais novo reforço do Atlético-GO.

9) Paulo Baier: Sem conseguir ficar mais de dois anos numa mesma equipe, hoje o inconstante lateral-meia-volante presta serviços ao Atlético-PR. Antes, esteve no Criciúma, Botafogo, Atlético-MG, Vasco, América-MG, Pelotas, Goiás, Palmeiras e Sport. Ufa.

10) Marcelinho Carioca: Acumula duas ingratas trocas de camisa. Após ser revelado pelo Flamengo, time em que jogou de 1988 a 1994, vestiu o uniforne do Vasco. Outra mudança de ar veio em 2001, quando foi do Corinthians para o Santos. Hoje aposentado e com 39 anos, Marcelinho fica longe do topo do nosso ranking.

Sem mais artigos