A “novela” sobre o retorno de Diego Tardelli ao futebol brasileiro está entrando em capítulos finais e já tem data para se encerrar: nesta sexta-feira. Apesar disso, o desfecho não deve ser bom para os clubes do Brasil. Atlético-MG e Palmeiras estavam na luta para repatriar o jogador, porém, segundo seu agente, Cacá Borges, o destino do atacante deve ser o Qatar.

“Deveremos ter uma definição da situação do Tardelli até sexta-feira, e é provável que o destino dele seja um clube do Qatar. Caso a negociação não seja viabilizada, ele volta para a Rússia”, disse.

Além disso, Cacá Borges revelou que o Internacional – que até o momento não aparecia entre os clubes que queriam Tardelli – chegou a sondar os valores do atacante.

“O Dorival Júnior (técnico do Inter) queria muito o Tardelli. Tivemos várias conversas com a diretoria para tentar alguma coisa, mas esbarramos em alguns detalhes. Como o Leandro Damião ficou no clube, o Dagoberto chegou, o time ficou com muitos atacantes, todos com salários altos, e ficaria difícil para o Tardelli ir para lá”, disse.

Diego Tardelli havia divulgado por meio de sua rede social que definiria seu futuro até o dia 23, fato que não aconteceu. De acordo com seu agente, a diretoria do Galo foi procurada, porém, como não teria conseguido um retorno, entendeu que o Galo não deseja contar com Tardelli para 2012.

“Tentamos um contato com o (presidente do clube) Alexandre Kalil, mas não conseguimos nada. Como não foi feita nenhuma proposta, entendemos que o Tardelli não está no planejamento do clube. Além disso, o salário oferecido não foi bom”, disse.

Sobre o Palmeiras, outro clube que ficou interessado em contar com o futebol do atacante, Cacá Borges disse que os paulistas apenas sondaram o atleta e não chegaram a oferecer uma proposta oficial. Além disso, ele criticou os problemas pelos os quais o clube passou neste ano.

“O Palmeiras tinha um projeto, falou em contratar muitos jogadores, mas o time não se ajusta. Além disso, há problemas de relacionamento (numa referência aos desentendimentos explícitos de Felipão com Kléber)”, contou.

Sem mais artigos