O atacante brasileiro Nenê, que está de saída do Paris Saint-Germain, confirmou neste domingo que chegou a um acordo com o Al Gharafa, do Catar, frustrando os planos de alguns times brasileiros que pretendiam contratá-lo, como o Santos.

Segundo o jogador, a proposta do time do Oriente Médio é financeiramente muito boa, e não pode ser desperdiçada.

“São coisas que não acontecem mais de uma vez na vida. Não sei se as pessoas vão entender. Vou fazer 32 anos em julho, o tempo passa rápido. Penso em meu futuro e quero que minha família esteja tranquila, e aceitei por isso”, disse Nenê em entrevista ao programa “Téléfoot”, da emissora francesa “TF1”.

Embora tenha dito na semana passada que não guardava rancor de ninguém no PSG, o jogador criticou o ex-jogador Leonardo, diretor esportivo do clube francês.

“Não temos as mesmas opiniões. Não acho que tenha faltado o respeito comigo, mas sim um pouco de consideração, principalmente por tudo o que eu fiz pelo clube”, afirmou o brasileiro, que chegou ao PSG em 2010, vindo do Monaco.

Nenê, que foi o artilheiro da última temporada do Campeonato Francês, mas na atual foi colocado na reserva pelo técnico Carlo Ancelotti, lamentou a não concretização de sua transferência para o Santos, que lhe teria dado mais visibilidade na disputa por uma vaga na seleção brasileira.

“Foi difícil. Sempre sonhei em jogar pela seleção e ficar perto da minha família. Estava quase fechado com o Santos, mas não chegamos ao valor que eu achava que era o ideal”, declarou.

O atacante não deu detalhes sobre a proposta salarial do Al Gharafa nem a duração do contrato, que segundo o site do jornal “L’Équipe”, será assinado nesta segunda-feira.

Sem mais artigos