Após pouco mais de quatro meses de greve, a Associação de Jogadores da NFL e os proprietários de equipes acertaram um novo contrato de trabalho válido por dez anos.

Fontes ligadas a ambas as partes assinalaram o fim da greve, que teve início no dia 11 de março.

O novo contrato ainda requer uma votação majoritária dos jogadores, mas esta pendência é considerada apenas uma formalidade.

A Associação de Jogadores deve convocar uma entrevista coletiva nesta segunda-feira para anunciar de maneira oficial o acordo.

O diretor-executivo da Associação, DeMaurice Smith, está consciente de que os jogadores serão a favor do acordo, já que até hoje não houve nenhum contrato que os jogadores tenham rejeitado após ter sido aprovado por seus líderes.

Uma vez que os jogadores ratifiquem o acordo, as equipes estarão autorizadas a iniciar as negociações já nesta terça-feira (26). 

Esta foi a primeira greve de atividades no futebol americano desde 1987. O ponto de maior controvérsia foi a forma de divisão dos aproximadamente US$ 9 bilhões em receita anual da competição.

A ampliação da temporada, impor uma escala salarial para jogadores novatos e o tema dos lucros para jogadores aposentados foram outros assuntos que contribuíram para a greve.

O acordo detalhado com todas as novidades que culminaram no fim do locaute ainda não foi divulgado.

NFL oficializa acordo que encerra greve dos jogadores

Sem mais artigos